FECHAR
FECHAR
06 de abril de 2018
Voltar
Manutenção

Evitando problemas no jogo planetário

Procedimentos e análises ajudam a identificar potenciais problemas nos componentes das engrenagens, antes mesmo de surgir uma falha grave, que pode encarecer a manutenção

Componentes centrais do sistema de transmissão, as engrenagens são dispositivos que tornam possível ao condutor do equipamento escolher entre uma maior ou menor relação entre velocidade e torque, de acordo com a carga e o terreno em que trafega, obtendo mais eficiência em relação ao consumo de combustível e tempo de operação. No entanto, para que funcionem a contento precisam estar sempre em perfeitas condições, sem desgastes ou folgas, além de lubrificadas adequadamente. E isso se consegue com a realização de manutenções preventivas e corretivas.

As engrenagens planetárias, como também são conhecidas, são constituídas por um grupo de peças – uma central (solar) e outras três, cinco ou mais satélites – que funcionam em conjunto. Há ainda um terceiro tipo, a anelar, que engloba externamente todas as outras. Essas peças também são popularmente conhecidas como “jogo planetário”, nome que deriva da semelhança com o sistema solar, com os planetas girando em torno do Sol, que ocupa a posição central. “Esse conjunto tem como objetivo principal reduzir a velocidade de entrada e aumentar o torque de saída”, explica Rodrigo Nomura, gerente de suporte ao cliente da John Deere.

Identificação de problemas em engrenagens é feita por meio da verificação de ruído, vibração, dificuldades no engate, temperatura elevada e presença de partículas no óleo, dentre outros procedimentos

Há vários procedimentos usuais para identificar e solucionar problemas potenciais em unidades de engrenagens, como lembra Silvio Renan, diretor de peças e serviços ao cliente da Mercedes-Benz do Brasil. “Eles podem ser constatados por meio de alteração no ruído, vibração, dificuldade durante o engate, indicação de temperatura elevada e presença de partículas metálicas no óleo”, ele explica. “Em caixas automáticas ou automatizadas, além desses indicadores, sempre que houver alguma alteração no funcionamento, o sistema apresentará uma mensagem.”

O coordenador de serviços da John Deere, Mairon Karr, vai além e fornece outros detalhes. Segundo ele, de forma geral, para identificação de problemas são aplicados os conceitos de Manutenção Preditiva. Dentre eles, há três tipos de inspeções que usam os sentidos humanos.

Uma delas é a auditiva, pela qual se procura verificar se há ruídos anormais durante a operação do sistema. Outra é a visual, que busca sinais de desgaste perceptíveis a olho nu, como ranhuras, cavidades e trincas. Por fim, há a olfativa, pela qual o técnico procura indícios de danos por meio do odor do lubrificante.

Produção editorial: Revista M&T – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral