FECHAR
FECHAR
18 de outubro de 2019
Voltar
Manutenção

Evitando o desgaste prematuro de esteiras

Cuidados com o material rodante são fundamentais para garantir a sua vida útil máxima, permitindo que o equipamento obtenha a produtividade esperada em campo

Como ocorre em qualquer peça ou equipamento, o material rodante – notadamente as esteiras – de máquinas pesadas requerem manutenção e cuidados para que atinjam sua vida útil máxima prevista e não apresentem problemas inesperados durante a operação. E esse controle também é extremamente importante porque, em determinadas condições de aplicação, o material rodante pode representar até 60% do custo de manutenção da máquina.

Como sempre, é vital seguir as orientações do manual de operação do fabricante, que traz informações como quantidade máxima recomendada de deslocamento, cuidados com limpeza, lubrificação e tensionamento correto, por exemplo. De qualquer forma, problemas sempre podem ocorrer. E a maioria está relacionada ao desgaste prematuro do conjunto e ao efeito do acúmulo de material. “Para mensurar o desgaste, o horímetro e a distância percorrida são informações importantes”, diz Carlos Marques, especialista em escavadeiras hidráulicas da JCB do Brasil. “No entanto, há outros fatores que auxiliam na identificação do desgaste excessivo, como a tensão.”

Avarias estão relacionadas principalmente ao desgaste prematuro do conjunto e ao efeito do acúmulo de material

No que se refere ao acúmulo de material, o risco está na entrada de terra, lama, minério ou qualquer outra substância depositada em excesso em meio às esteiras, alterando assim seu ‘passo’, ou seja, a relação harmoniosa entre os componentes relacionados do conjunto. “A alteração do passo traz como consequência um desgaste prematuro irregular e agressivo dos componentes”, explica Marques.

DESGASTES

Para Wilson Cardozo, consultor de vendas da Komatsu, um dos problemas mais comuns que ocorrem no material rodante é o desgaste irregular dos roletes superiores, devido a um detalhe que pode passar despercebido: o alinhamento na hora da instalação. “Os inferiores são fixados sem ajuste, mas para os superiores é fundamental o ajuste adequado, para que a esteira deslize corretamente na superfície”, ele orienta.