FECHAR
FECHAR
15 de novembro de 2018
Voltar
Empresa

Engenharia da inovação

A ZF comemora 60 anos no Brasil com a abertura de um novo Centro de Competência para o segmento fora de estrada, que fornecerá eixos ao mercado global de equipamentos

Criada há mais de 100 anos pelo conde Ferdinand Von Zeppelin, a ZF completa 60 anos de atuação no Brasil. A celebração ocorre em momento emblemático para a empresa, uma vez que a inovação tecnológica – seu DNA desde a origem – vem se tornando uma das principais commodities de alto valor agregado em todo o mundo. Nesse sentido, a unidade brasileira – a primeira fora da Alemanha – é vista como estratégica para a empresa, que acaba de criar aqui seu novo Centro de Competência, a fim de concentrar a produção dos eixos off-road para atender aos mercados globais.

Mais que acompanhar de perto a evolução da linha de montagem e qualidade dos produtos desenvolvidos ao redor do planeta, o novo arranjo produtivo atesta como a unidade brasileira contribui para os avanços de processos e produtos da própria companhia. Um compromisso, aliás, assumido desde o início de sua presença no país. “A ZF foi uma das poucas multinacionais de autopeças a participar ativamente de todo o processo de instalação, desenvolvimento e expansão da indústria automotiva brasileira” relembra Wilson Bricio, presidente da ZF América do Sul.

Essa perfeita sintonia fica agora cristalizada no novo Centro de Competência instalado no país. Segundo Stefan Prebeck, diretor global de engenharia da Unidade de Negócios Fora-de-Estrada da ZF, o foco do novo núcleo são os principais mercados da América Latina, Oriente e Europa, nos quais há uma forte demanda para estes produtos. “Essa é mais uma prova de que o Brasil é considerado um centro desenvolvedor de tecnologia mundial”, destaca o executivo.

Fazendo coro, o gerente da Unidade de Negócios para Tecnologia Industrial da ZF América do Sul, Paulo Vecchia, revela que estão previstos novos investimentos, além da contratação de engenheiros e equipes de campo. “O objetivo é acelerar o tempo de desenvolvimento de novos produtos e reduzir o tempo de resposta aos clientes”, explica.

INOVAÇÃO

Atualmente, o mercado global de eixos dianteiros tracionados movimenta 500 mil unidades, considerando as montadoras que constroem o seu próprio eixo. Isoladamente, o mercado brasileiro representa aproximadamente 11% deste total. “Com esta ação, o objetivo principal é ampliar o portfólio de soluções para a área off-road em todo o mundo, que passa por um momento de expansão e modernização contínua, ajudando a atender às máquinas destinadas a todos os tipos de operação, seja no campo como nos canteiros de obras”, comenta Vecchia.