FECHAR
FECHAR
05 de abril de 2018
Voltar
Empresa

Em recuperação acelerada

Após registrar avanço de 36,5% na comercialização de pesados, a Scania prevê um ano ainda melhor em 2018, ancorada em novos modelos e na oferta de serviços personalizados

Após anos de quedas sucessivas, o mercado de caminhões está em plena recuperação. De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), o crescimento da demanda total no ano passado foi de 3,53%, incluindo todas as categorias, com o emplacamento de 52.069 caminhões novos no país de janeiro a dezembro, contra os 50.292 registrados em 2016.

Com esses resultados positivos em mãos, a Scania encampa o otimismo do setor e projeta um crescimento para 2018 de até 30% nas vendas de seus caminhões acima de 16 toneladas. Em 2017, a empresa emplacou 5.754 caminhões. “Em todas as categorias acima de 16 toneladas, que incluem caminhões semipesados e pesados, houve alta de vendas e de participação de mercado, com um índice de comercialização de 36,5% a mais do que em 2016 (4.216 unidades), em um mercado total que cresceu 10,7% no segmento”, afirma Roberto Barral, vice-presidente das operações comerciais da Scania no Brasil.

No segmento dos pesados, um dos que mais sofreram com a crise econômica, foram vendidas 4.901 unidades, em uma alta de 39,5% em relação às 3.514 unidades comercializadas em 2016. “Com esses resultados, a Scania registrou um market share de 26,1%, contra 23,5% de 2016”, diz o executivo.

Em semipesados, foram vendidas 853 unidades da marca em 2017, resultando em um acréscimo de 21,5%, em comparação aos 702 veículos movimentados em 2016. Nesse segmento, a participação de mercado da Scania subiu de 4,7% para 6,3%.

SEGMENTAÇÃO

Segundo o diretor de vendas de caminhões da Scania no Brasil, Ricardo Vitorasso, os bons resultados do agronegócio – a Supersafra 2016/2017 registrou uma colheita de grãos de cerca de 230 milhões de toneladas – foram cruciais para a montadora. As vendas de caminhões para esse setor representaram aproximadamente 25% de todo o volume de caminhões rodoviários comercializados em 2017. “Para 2018, em uma sinalização que a economia vem retomando, não teremos um segmento especifico crescendo”, avalia Vitorasso. “O setor de grãos continua forte, com a previsão de uma safra significativa neste ano, mas agora acompanhado de outras áreas, como a de cargas industriais, que já sinaliza uma retomada mais significativa.”

E as expectativas parecem estar se concretizando. De acordo com o executivo, no início de 2018 a Scania já registrou vendas expressivas, principalmente com a renovação de frotas de alguns clientes, entregando em janeiro os primeiros caminhões equipados com a nova geração de motores da marca.

Produção editorial: Revista M&T – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral