FECHAR
FECHAR
06 de dezembro de 2019
Voltar
Editorial

Construção global cresce em ritmo mais lento

“O crescimento do desempenho global do setor deve se estabilizar em 3,4% até 2023, enquanto no Brasil as expectativas apontam para um avanço sobre os resultados deste ano em torno de 10% em 2020, como mostra o Estudo de Mercado publicado nesta edição.”

Segundo dados da GlobalData, as projeções para o crescimento global do setor da construção neste ano foram revisadas para 2,7%, o mais baixo em uma década. O resultado foi revisado para baixo devido à queda das atividades em mercados emergentes, assim como nos Estados Unidos e no Oriente Médio.

No entanto, a projeção do centro global de inteligência da construção aponta que o setor deve avançar 3,2% já em 2020, estabilizando em 3,4% durante o restante do período avaliado pelo estudo, que vai até 2023. Para a entidade, avanços consistentes em algumas economias podem gerar uma dinâmica de crescimento, como é o caso dos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália. Na China, onde as autoridades estão direcionando investimentos à infraestrutura para prevenir uma desaceleração continuada da economia, o crescimento se manterá positivo, contribuindo para uma tênue aceleração do crescimento nos mercados emergentes.

Na visão da GlobalData, os riscos geopolíticos estão se intensificando, o que potencialmente pode minar a confiança do investidor e perturbar os fluxos de capital na parte inicial do período de previsã


Segundo dados da GlobalData, as projeções para o crescimento global do setor da construção neste ano foram revisadas para 2,7%, o mais baixo em uma década. O resultado foi revisado para baixo devido à queda das atividades em mercados emergentes, assim como nos Estados Unidos e no Oriente Médio.

No entanto, a projeção do centro global de inteligência da construção aponta que o setor deve avançar 3,2% já em 2020, estabilizando em 3,4% durante o restante do período avaliado pelo estudo, que vai até 2023. Para a entidade, avanços consistentes em algumas economias podem gerar uma dinâmica de crescimento, como é o caso dos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália. Na China, onde as autoridades estão direcionando investimentos à infraestrutura para prevenir uma desaceleração continuada da economia, o crescimento se manterá positivo, contribuindo para uma tênue aceleração do crescimento nos mercados emergentes.

Na visão da GlobalData, os riscos geopolíticos estão se intensificando, o que potencialmente pode minar a confiança do investidor e perturbar os fluxos de capital na parte inicial do período de previsão. Nesse quadro, o relatório também menciona como as incertezas políticas estão afetando o crescimento da indústria global da construção, notadamente a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China e os recentes ataques com drones às maiores instalações de processamento de petróleo da Arábia Saudita.

Em tal cenário, a entidade prevê que o sudeste asiático obterá o mais rápido crescimento no período 2019-2023, com um avanço de 6,4%. Por aqui, como mostra o Estudo Sobratema do Mercado Brasileiro de Equipamentos publicado com exclusividade nesta edição, as perspectivas também são positivas, após anos de instabilidade da demanda, com uma projeção de crescimento próxima a 10% no mercado interno em 2020. O que já não é pouco, mesmo considerando a baixa base comparativa.

Em 2019, aliás, os resultados ficaram acima do esperado, em torno de 40%, superando as projeções do Estudo de Mercado traçadas em 2018, que indicavam um período de crescimento apenas moderado no comparativo anual. Como a Revista M&T indicava na ocasião, se de fato não houve uma “explosão de vendas”, ao menos vem se confirmando que o pior momento já passou para o setor. E que isso continue em 2020 e pelos próximos anos. Boa leitura e boas festas!

Permínio Alves Maia de Amorim Neto
Presidente do Conselho Editorial