FECHAR
FECHAR
03 de abril de 2017
Voltar
Entrevista

“Compromisso com a rentabilidade”

No dia 1° de junho de 2016, o executivo Roberto Barral tornou-se o novo diretor-geral das operações comerciais da Scania no Brasil. O executivo chegou para ocupar o posto de Mathias Carlbaum, que, após dois anos no país, assumiu no mesmo dia a vice-presidência das operações comerciais do grupo no mundo.

Formado em ciências econômicas pela Universidade de São Paulo (USP), Barral tem pós-graduação em administração de empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e especialização em controladoria pela mesma instituição. Sua ascensão coroa uma trajetória de dedicação. O executivo ingressou na Scania em 1995 e, desde então, acumulou sólida experiência nas áreas comercial e industrial da empresa.

Em 2006, assumiu a gerência financeira da Codema, uma das principais concessionárias da marca no Brasil, período em que aprimorou seus conhecimentos sobre as operações de transporte dos clientes. Quatro anos depois, foi nomeado CFO da Scania Ibérica e permaneceu na posição por cinco anos, até tornar-se diretor-geral do Consórcio Scania, em 1º de janeiro de 2016. Em março do ano passado, foi anunciado como novo diretor-geral da montadora no Brasil.

Agora líder das operações no país, o executivo deu uma pausa em sua apertada agenda para falar com exclusividade à M&T, revelando os desafios que tem pela frente em seu atual cargo. Acompanhe os principais trechos.

Como avalia o atual momento do mercado de caminhões no Brasil?

Continua sendo um período desafiador. Nestes três últimos anos, os volumes caíram a níveis muito abaixo do que a indústria imaginou. O mercado de veículos comerciais é exatamente um espelho da economia. E nosso país parou de crescer e entrou em profunda recessão. Assim, o reflexo é o mais fiel possível. Mas a Scania não ficou lamentando a queda de vendas. Arregaçamos as mangas e permanecemos ao lado do cliente, pois nestes momentos é que se comprova o significado da palavra ‘parceria’. E unimos a rede. Mudamos nossa estratégia mantendo o foco no varejo e em novos clientes. Com isso, a Scania conquistou 24% de novos clientes nos pesados e 40% nos semipesados. Contudo, para 2017 já conseguimos ver uma luz no fim do túnel, especialmente no segundo semestre. O cliente aos poucos vem retomando a confiança para voltar a investir. Assim, vamos continuar apresentando soluções para aumentar a rentabilidade e a disponibilidade das frotas.