FECHAR
FECHAR
19 de outubro de 2010
Voltar
Empresa / Atenta às oportunidades

Além de ser indicada para utilização em obras de habitação popular, a tecnologia encontra aplicação também em projetos imobiliários voltados para a classe média, conforme explica Vazquez. Ele ressalta que o sistema não apresenta restrições quanto ao tipo de concreto utilizado, desde que seja adotada uma pressão máxima de concretagem de 61 kN/m².

Novos investimentos
Segundo o executivo, as expectativas para 2010 e para o próximo ano são muito otimistas em todas as frentes de atuação da empresa. Afinal, além de fornecer esta e outras linhas de produtos, por meio da divisão Jahu, a empresa produz formas e escoramentos para obras pesadas, atua na área industrial (pintura, tratamento de superfície, acessos etc.) e na locação de equipamentos para construção, por meio da divisão Mills Rental, totalizando um faturamento de R$ 460 milhões em 2009.

“Em geral, tanto o mercado industrial quanto o de construção pesada são responsáveis por cerca de 35% do nosso faturamento e os demais negócios dividem de forma quase igualitária o restante das receitas” diz Vazquez. Para manter o ritmo de crescimento da empresa, ele anuncia investimentos de R$ 1,1 bilhão. “Desse valor, R$ 410 milhões vêm do processo de capitalização da empresa, com a abertura do capital em bolsa, e o restante será gerado com caixa próprio, o que nos isenta de um possível endividamento.”

Os recursos serão aplicados basicamente na abertura de novas filiais e na ampliação da frota de equipamentos da Mills Rental. “Até o fim de 2011, teremos 38 filiais em todo o Brasil, quase o dobro das 20 que contabilizávamos no início de 2009.” Esse esforço, segundo o executivo, visa posicionar a empresa diante das oportunidades de contratos geradas pelas obras para a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016, além dos inúmeros projetos de infraestrutura previstos nos quatro cantos do país.