FECHAR
FECHAR
20 de setembro de 2019
Voltar
Lançamento

Aposta na compactação

Projetando um crescimento de 20% nas vendas nos próximos anos, a JCB reforça o portfólio com o lançamento dos novos rolos compactadores para o mercado brasileiro

Para a fabricante britânica JCB, o Brasil sempre foi um mercado de grande importância nos negócios. Tanto que, ao longo dos últimos anos, a empresa tem investido um aporte significativo no país, seja na introdução de novos maquinários – em princípio importados das mais de 20 fábricas distribuídas por quatro continentes – como na fabricação local, desde a unidade fabril em Sorocaba/SP.

Como parte desta estratégia de investimentos, a empresa acaba de apresentar ao mercado três novos modelos de rolos compactadores: 116D, CT160 e CT260. Trata-se de um reforço expressivo no portfólio, pois com os novos produtos a companhia passa a cobrir cerca de 70% do mercado de rolos no país. “Em princípio, os equipamentos serão importados, mas já há projetos de fabricação local, dependendo da demanda do mercado”, adianta Etelson Hauck, gerente de produto da JCB do Brasil.

De acordo com ele, os novos equipamentos já estão sendo comercializados, inicialmente com exclusividade para distribuidores, mas em breve serão iniciadas as operações com clientes finais. “A introdução local de um equipamento não consiste apenas na importação e comercialização”, ele ressalta. “Também é preciso pensar em estoques de peças, tanto na fábrica quanto nos dealers, assim como na manutenção e no treinamento dos nossos técnicos de campo.”

CENÁRIO

No atual cenário, a movimentação pode indicar um novo momento para essa indústria no Brasil. Afinal, nos últimos anos o mercado de pavimentação registrou uma queda acentuada, principalmente em 2015, na esteira dos escândalos envolvendo as grandes empreiteiras do país, que paralisaram as obras de pavimentação.

Com isso, o volume de aquisi&cce


Para a fabricante britânica JCB, o Brasil sempre foi um mercado de grande importância nos negócios. Tanto que, ao longo dos últimos anos, a empresa tem investido um aporte significativo no país, seja na introdução de novos maquinários – em princípio importados das mais de 20 fábricas distribuídas por quatro continentes – como na fabricação local, desde a unidade fabril em Sorocaba/SP.

Como parte desta estratégia de investimentos, a empresa acaba de apresentar ao mercado três novos modelos de rolos compactadores: 116D, CT160 e CT260. Trata-se de um reforço expressivo no portfólio, pois com os novos produtos a companhia passa a cobrir cerca de 70% do mercado de rolos no país. “Em princípio, os equipamentos serão importados, mas já há projetos de fabricação local, dependendo da demanda do mercado”, adianta Etelson Hauck, gerente de produto da JCB do Brasil.

No sentido horário, os rolos 116D, CT260 e CT160: ampliação da cobertura de mercado no país

De acordo com ele, os novos equipamentos já estão sendo comercializados, inicialmente com exclusividade para distribuidores, mas em breve serão iniciadas as operações com clientes finais. “A introdução local de um equipamento não consiste apenas na importação e comercialização”, ele ressalta. “Também é preciso pensar em estoques de peças, tanto na fábrica quanto nos dealers, assim como na manutenção e no treinamento dos nossos técnicos de campo.”

CENÁRIO

No atual cenário, a movimentação pode indicar um novo momento para essa indústria no Brasil. Afinal, nos últimos anos o mercado de pavimentação registrou uma queda acentuada, principalmente em 2015, na esteira dos escândalos envolvendo as grandes empreiteiras do país, que paralisaram as obras de pavimentação.

Com isso, o volume de aquisição de rolos, em especial, reduziu-se até mais do que outros equipamentos. “Contudo, o Brasil nunca deixou de ser um grande canteiro de obras, em que a maior parte das pessoas e mercadorias circula pelo transporte terrestre”, reflete o executivo. “Com apenas 12% das rodovias pavimentadas, o Brasil tem inúmeras oportunidades tanto de transformar as estradas de terra em asfalto quanto de criar novas rodovias.”

Tal confiança também vem dos números atuais. Mesmo que gradativa e lentamente, o segmento de compactação vem apresentando uma tendência de crescimento no Brasil. “Em 2019, estima-se que o volume desse mercado seja cerca de 50% maior que no ano passado”, pontua Hauck.

SINGLE DRUM

Em visita à fábrica, a JCB apresentou com exclusividade à Revista M&T os novos modelos de rolos compactadores da marca. Indicado para trabalhos em terra e asfalto, o modelo single drum 116D pode contar com tambor liso, tambor pé de carneiro ou kit pé de carneiro aplicado ao cilindro. “Esse rolo é indicado para aplicação em obras em rodovias e aberturas de novas estradas”, informa o executivo.

O equipamento apresenta diferenciais como trem de força desenvolvido 100% pela marca, com motor, transmissão e eixos projetados e fabricados pela própria empresa. A máquina oferece força centrífuga de 256 kN, carga linear estática de 34,2 kg/cm² e amplitude de 1,8 mm, o que – segundo a fabricante – garante a entrega de uma melhor compactação. “Além disso, o motor Dieselmax 444 apresenta potência de 114 hp e alto torque, sendo certificado de acordo com o MAR-1”, completa Hauck, destacando que o modelo conta ainda com um sistema de vibração acionado na cabine. “A máquina também traz tambor sólido com 28 mm de espessura e laterais reforçadas com chapa de aço de 10 mm, sendo que alguns pontos do cilindro chegam a ter 38 mm”, ressalta.

Esse fator, como garante Hauck, contribui para o aumento da vida útil e eficiência de compactação, pelo fato de o rolo portar um peso adicional. “Com isso, conseguimos aumentar nossa capacidade de compactação e diminuir o desgaste”, afirma.

TANDEM

Os outros dois modelos introduzidos são do tipo tandem, compostos por cilindro vibratório duplo e utilizados principalmente no acabamento e manutenção de estradas, assim como na construção de vias menores e trabalhos em espaços confinados.

Para tanto, os modelos CT160 (potência de 19,8 hp) e CT260 (24,4 hp) contam com tambores atrás e na frente, pesando menos de quatro toneladas, com bordas chanfradas para um melhor nível de acabamento. “O tambor traseiro é alinhado ao chassi traseiro, o que garante maior visibilidade ao operador”, explica Hauck.

Visando ao conforto do operador, os três modelos têm cabine fechada, sendo que o 116D possui proteção ROPS/FOPS (Roll-Over Protective Structure/Fall-Over Protective Structure). “O projeto do equipamento buscou proporcionar maior visibilidade e conforto para quem opera a máquina”, diz o gerente. “Assim, o capô traseiro conta com ângulo baixo e plano, que permite uma visilidade traseira total, além de exigir menos esforço físico do operador para visualizar a parte de trás da máquina.”

Para assegurar a produtividade, os novos rolos oferecem como opcional o sistema Compatronic, um dispositivo que mede a compactação em tempo real, ajudando a diminuir o número de passadas necessárias para se atingir o nível desejado de compactação. “Localizado no painel, esse sistema permite que o operador confira o nível de compactação do solo, identificando o nível real daquele ponto específico”, acresce o especialista.

MANUTENÇÃO

Na parte de manutenção, os novos rolos foram projetados com pontos mais acessíveis. A revisão e a troca de filtros, por exemplo, são realizadas ao nível do solo. “Ou seja, não é necessário escalar ou entrar debaixo da máquina para trocar um filtro”, assegura Hauck. “Assim, facilita-se a vida do operador, não só na questão de tempo, mas também da segurança de quem realiza a manutenção.”

Outro ponto de destaque, especialmente no modelo 116D, é a possibilidade de abertura da tampa do capô traseiro em 70o. “Com isso, é possível verificar o motor, os filtros, as bombas hidráulicas e grande parte dos componentes”, conclui o gerente.

FABRICANTE ANUNCIA NOVO CICLO DE INVESTIMENTOS

No início de julho, a JCB anunciou mais um ciclo de investimentos no país, desta vez no valor de 100 milhões de reais, que serão aplicados nos próximos três anos em sua fábrica de Sorocaba, no interior de São Paulo. De acordo com José Luis Gonçalves, presidente da JCB para a América Latina, esse montante será utilizado no desenvolvimento de novos produtos para o mercado brasileiro e América Latina, incluindo incremento ferramental, expansão de fornecedores e ampliação das linhas de produção.

Fabricante anuncia investimentos de R$ 100 milhões nos próximos três anos no Brasil

A proposta da empresa é produzir de duas a três novas máquinas por ano no período. “Desde 2015 nosso market share vem crescendo mais de um ponto percentual por ano”, ele afirma. “Assim, em três anos chegaremos ao topo da nossa capacidade com o que temos hoje, de modo que esses investimentos permitirão que avancemos ainda mais na participação de mercado.”

Saiba mais:
JCB: www.jcb.com/pt-br