FECHAR
FECHAR
30 de maio de 2011
Voltar
Empresa

Aposta em equipamentos compactos

Focada no segmento de máquinas compactas, indicadas para obras em locais confinados, a japonesa Yanmar se consolida no mercado brasileiro de equipamentos

Conhecida mundialmente pela produção de motores diesel e grupos geradores, a fabricante japonesa Yanmar avança no mercado brasileiro de equipamentos para construção com base na oferta de modelos compactos. Antes incipiente no país, esse segmento registra vertiginosa expansão nos últimos anos, na medida em que as demandas por maior produtividade e redução de custo nos canteiros de obras resultam na mobilização de equipamentos cada vez mais específicos para aplicações em locais confinados, onde máquinas de maior porte não conseguem operar.

Segundo Kenji Kitahara, presidente da Yanmar South America Indústria de Máquinas, a expectativa de crescimento da empresa nesse segmento baseia-se também na experiência dos países industrializados, cujas máquinas compactas estão sendo utilizadas como solução para a maior produtividade em obras urbanas e em canteiros com pouco espaço. “Nossos equipamentos chegam para disputar um segmento de mercado antes atendido apenas pelas retroescavadeiras”, afirma o executivo.

A Yanmar disponibiliza ao mercado brasileiro equipamentos que cobrem a faixa de 1 t a 8 t de peso operacional, entre retroescavadeiras de pequeno porte, miniescavadeiras, minicarregadeiras (skid loaders) e carregadeiras compactas. A diferença entre esses dois últimos modelos é que, enquanto os skid loaders possuem chassi rígido e um conceito diferenciado de movimentação de braço, o outro é exatamente o que o nome define: uma pá carregadeira de pequeno porte, com todas as funcionalidades do equipamento (a articulação do chassi, por exemplo), mas com uma caçamba bem menor.

Conceito inovador

De acordo com Kitahara, o carros-chefe da linha são as miniescavadeiras da série VIO, que cobrem a faixa entre 2 t e 3 t.  “Os modelos, disponíveis em versões com esteira de borracha ou de aço, se caracterizam pela parte traseira não ficar para fora do carro da máquina e, devido a essa ‘cauda zero’, eles realizam o giro sobre a própria estrutura, o que possibilita uma ótima manobrabilidade em áreas com muitas interferências.”

Segundo o executivo, essa característica permite que a máquina trabalhe sem ocasionar interferências no trânsito das grandes cidades. “Fomos o primeiro fabricante a adotar esse conceito, hoje seguido por outras empresas.” O fato de a empresa ser um dos principais fabricantes de motor d


Conhecida mundialmente pela produção de motores diesel e grupos geradores, a fabricante japonesa Yanmar avança no mercado brasileiro de equipamentos para construção com base na oferta de modelos compactos. Antes incipiente no país, esse segmento registra vertiginosa expansão nos últimos anos, na medida em que as demandas por maior produtividade e redução de custo nos canteiros de obras resultam na mobilização de equipamentos cada vez mais específicos para aplicações em locais confinados, onde máquinas de maior porte não conseguem operar.

Segundo Kenji Kitahara, presidente da Yanmar South America Indústria de Máquinas, a expectativa de crescimento da empresa nesse segmento baseia-se também na experiência dos países industrializados, cujas máquinas compactas estão sendo utilizadas como solução para a maior produtividade em obras urbanas e em canteiros com pouco espaço. “Nossos equipamentos chegam para disputar um segmento de mercado antes atendido apenas pelas retroescavadeiras”, afirma o executivo.

A Yanmar disponibiliza ao mercado brasileiro equipamentos que cobrem a faixa de 1 t a 8 t de peso operacional, entre retroescavadeiras de pequeno porte, miniescavadeiras, minicarregadeiras (skid loaders) e carregadeiras compactas. A diferença entre esses dois últimos modelos é que, enquanto os skid loaders possuem chassi rígido e um conceito diferenciado de movimentação de braço, o outro é exatamente o que o nome define: uma pá carregadeira de pequeno porte, com todas as funcionalidades do equipamento (a articulação do chassi, por exemplo), mas com uma caçamba bem menor.

Conceito inovador
De acordo com Kitahara, o carros-chefe da linha são as miniescavadeiras da série VIO, que cobrem a faixa entre 2 t e 3 t.  “Os modelos, disponíveis em versões com esteira de borracha ou de aço, se caracterizam pela parte traseira não ficar para fora do carro da máquina e, devido a essa ‘cauda zero’, eles realizam o giro sobre a própria estrutura, o que possibilita uma ótima manobrabilidade em áreas com muitas interferências.”

Segundo o executivo, essa característica permite que a máquina trabalhe sem ocasionar interferências no trânsito das grandes cidades. “Fomos o primeiro fabricante a adotar esse conceito, hoje seguido por outras empresas.” O fato de a empresa ser um dos principais fabricantes de motor do mundo agrega outro diferencial aos equipamentos. “A tecnologia desenvolvida na motorização de nossos modelos é um dos fatores que traz confiabilidade para os clientes e, inclusive, reduz consideravelmente o consumo de combustível.” Kitahara ressalta que as máquinas dos principais concorrentes são equipadas com motor Yanmar. “Os nossos modelos se destacam ainda pela durabilidade, pela simplicidade na operação e grande rendimento.”

O discurso otimista da fabricante japonesa, aliado aos resultados apresentados na prática, pode ser fundamentado pelo “Estudo de Mercado” produzido pela Sobratema. Segundo o levantamento realizado pela associação, o segmento de minicarregadeiras (skid loaders) cresceu 46% em 2010, com a comercialização de 1.750 em todo o país. “Esse mercado tem um grande potencial de crescimento, principalmente porque o brasileiro está se familiarizando com o conceito desses equipamentos, cuja versatilidade ajuda a suprir até mesmo o déficit de mão-de-obra na construção civil”, afirma o executivo.

Principais mercados
Até o momento, as pequenas e médias construtoras, juntamente com as locadoras, figuram entre os principais consumidores dos equipamentos da Yanmar que, segundo Kitahara, são destinados majoritariamente para obras residenciais, de galerias pluviais e construções subterrâneas em geral, como escavações em túneis. “Outro grande mercado são os depósitos de material de construção, que utilizam esses equipamentos compactos para o carregamento de areia e brita”. O executivo revela outras aplicações até certo ponto curiosas: “estamos comercializando muitas miniescavadeiras para operação em cemitérios e as carregadeiras compactas, por sua vez, encontram aplicação em campos de golfe e áreas agrícolas, onde trabalham no carregamento de esterco suíno.

No caso das retroescavadeiras, que a empresa começou a comercializar ano passado no mercado brasileiro, os resultados surpreenderam Kitahara. “As vendas superaram nossas metas iniciais”, ele afirma. O executivo atribui a aceitação dos clientes ao rendimento do equipamento. “O Brasil ainda é o país das retros, principalmente na faixa de operação de 70 cv, entretanto, o nosso modelo de 37 cv compete em condições de igualdade com os modelos de maior potência”, ele complementa.

O modelo CBL 40, indicado para operar em obras que demandam alto rendimento, possui transmissão hidrostática, tração 4x4 e peso operacional de aproximadamente de 4 t, atingindo uma profundidade de escavação de 3 m. “As primeiras unidades chegaram ao Brasil em junho do ano passado e já estão sendo utilizadas por alguns de nossos clientes, como construtoras, mineradoras e locadoras, entre outros”, afirma Kitahara.

Suporte ao cliente
Outra preocupação da Yanmar está relacionada ao pós-venda. Nessa área, a empresa dispõe de um estoque de peças dimensionado para suportar a demanda dos clientes e do mercado de reposição. “Os componentes mais vitais do equipamento e os de maior giro ficam armazenados em nossa unidade fabril e as demais peças são importadas diretamente do Japão, sendo que os pedidos mais urgentes são atendidos em até 15 dias.”

O executivo ressalta ainda que outro diferencial da Yanmar está pautado em uma rede de distribuição que dê todo o suporte aos clientes. A empresa conta hoje com dealers em São Paulo, Santa Catarina e Amazonas. “Queremos ampliar nossa rede de concessionárias, a fim de atender outros estados do território brasileiro, mas queremos crescer de forma gradual e organizada, porque não adianta nada oferecer um serviço que não atenda integralmente aos anseios de nossos clientes”, conta Kitahara.

A participação em feiras de grande porte é outro trunfo para a empresa iniciar novos canais de vendas, tanto que a Yanmar já confirmou presença na M&T Peças e Serviços, organizada pela Sobratema, que irá ocorrer entre os dias 10 e 12 de agosto de 2011. “Nesse evento, vamos trabalhar a divulgação dos equipamentos voltados para a construção civil, bem como nossa linha de motor TNV e conjuntos geradores da série YBG, cuja potência varia entre 7,5 e 75,0 kVA”, ele conclui.