FECHAR
FECHAR
28 de dezembro de 2015
Voltar
Fresadoras / Agilidade na reabilitação de pavimentos

Para remoção de pavimentos, a fresagem a frio realmente tem sido a melhor opção, de acordo com Gewehr. “Antes, a remoção era feita com o aquecimento do pavimento asfáltico, mas com a utilização de ferramentas de alta resistência, empregadas em mineração, surgiram os equipamentos atuais e seus respectivos cilindros de corte, bits e porta-bits”, explica. “Assim, as fresadoras podem remover um pavimento com a profundidade desejada, enquanto o material é extraído de forma granular, podendo ser aproveitado na nova pavimentação.”

No entanto, em qualquer tipo de reciclagem, como pontua Rauen, é necessário que se faça previamente a análise físico-química do ligante asfáltico envelhecido. Isso determina o grau de comprometimento e estabelece as quantidades de asfalto novo, agente rejuvenescedor e – quando necessário – melhorador de adesividade a serem adicionadas na reciclagem.

Após a reciclagem, o material recuperado também deve ser analisado, para confirmar o traço do projeto, já que os materiais reciclados costumam ser muito heterogêneos. Porém, se a reciclagem for bem realizada, esta heterogeneidade não será obstáculo ao bom desempenho do novo pavimento. “O material asfáltico fresado (RAP) pode ser reaproveitado em misturas a frio, para camadas de base e de revestimento e ainda em novas misturas asfálticas a quente, desde que passe por um processo especial de secagem e dosagem”, destaca Gewehr.

Ele também reforça a necessidade de análise laboratorial prévia das características do RAP antes de projetar uma nova mistura com o reaproveitamento. “No Brasil, já houve projetos experimentais com uso de até 50% de RAP na composição de uma nova mistura asfáltica, reduzindo o custo com agregados virgens e diminuindo o consumo de jazidas”, comenta.

Para Garcia, apesar da eficiência técnica do processo de fresagem, nem todos os trechos deteriorados são candidatos naturais a um eventual processo de fresagem. “Se houver uma avaliação incorreta dos dados das condições funcionais e estruturais dos pavimentos e, com isso, for adotado um método incorreto, os resultados obtidos não serão satisfatórios”, diz.

Geralmente, segundo ele, o processo de seleção da técnica de restauração de pavimentos inclui avaliações da superfície, dos materiais e do grau de deterioração do pavimento, além de análise econômica. “Uma parte essencial no processo é a determinação de suas características, por meio de um levantamento de dados sobre sua condição funcional e estrutural”, afirma. O gerente da Sotreq lembra ainda que os processos de deterioração dos pavimentos asfálticos podem ser agrupados em categorias como defeitos de superfície, deformações e trincamentos, atividades de manutenção, problemas de subleito e de base, qualidade no rolamento e segurança.