FECHAR
17 de julho de 2019
Voltar
Tuneladoras

Adaptadas ao solo

Com soluções como EPBs híbridas, Double Shields, Grippers, BBMs e Multi-Mode TBMs, a indústria introduz novos conceitos para enfrentar condições hidrogeológicas variáveis

Nos últimos anos, a tecnologia de tuneladoras vem avançando a passos largos em todo o mundo. A alemã Herrenknecht, uma das principais fabricantes globais de TBMs (Tunnel Boring Machines), é um exemplo dessa evolução. Para citar um caso recente de sucesso, seu modelo EPB (Earth Pressure Balanced) Shield S-769 híbrido ganhou destaque nas obras de construção da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro (como a Revista M&T registrou na edição no 191) ao ser customizado para escavação de um túnel de 16 km em rocha e areia.

Maior intervenção de infraestrutura urbana realizada nos últimos anos na América Latina, a obra foi inclusive reconhecida em âmbito internacional com a conquista do ITA Tunnelling Awards 2016, o maior prêmio do setor de construção de túneis do mundo, superando projetos na Noruega, Reino Unido, Finlândia e Cingapura.

E, evidentemente, a máquina exerceu um papel importante para isso. Com 11,53 m de diâmetro, a TBM de 700 t possui força máxima de empurre de 141.000 kN, com capacidade de escavar até 18 m por dia, estabelecendo assim um novo patamar para esse tipo de perfuração. “A EPB híbrida permite manter o nível dos assentamentos em uma faixa desejável, oferecendo um alto grau de segurança, uma vez que mantém a câmara continuamente cheia de pasta sólida, além de dispensar a montagem e operação de uma central de desarenação fora do túnel”, comenta Julio Pierri, engenheiro da Construtora Norberto Odebrecht que coordenou a operação. “Assim, foi possível estender a faixa de aplicação da tecnologia EPB para areias mais grossas, com maior flexibilidade para lidar com as condições variáveis do solo.”

SELEÇÃO

De fato, a tecnologia híbrida representa um divisor de águas para o desempenho de TBMs. Mas há outros aspectos que vêm avançando no segmento, a começar pelos critérios de seleção do equipamento. Segundo Juan Manuel Altstadt, diretor da Herrenknecht para o Brasil, uma seleção assertiva do tipo de TBM para uso em rocha (branda ou dura) exige a atenção a aspectos como o perfil geológico do túnel, incluindo seu alinhamento, presença de lençol freático e localização de possíveis poços, dentre outros.