FECHAR
FECHAR
10 de junho de 2020
Voltar
A Era das Máquinas

A evolução da concretagem contínua

Por Norwil Veloso

Projetado em 1966, o ‘cone finisher’ elétrico tinha largura de pavimentação de 18,2 m

Desde a sua fundação, a Gomaco foi pioneira em projetos e fabricação de equipamentos para concretagem contínua, conceito que lançou e que teve grande impacto no mercado devido à maior produtividade, eficiência, redução do desperdício de materiais, baixa obstrução no tráfego e acabamento superior. Até hoje a empresa é líder mundial na tecnologia de pavimentação em concreto.

O empresário norte-americano Harold Godbersen (1916-1986) fundou uma empresa de construção em 1938 e, oito anos depois, criou a Godbersen-Smith Construction. Com grande experiência na área, ele buscou difundir suas ideias inovadoras extrapolando as atividades de sua empresa. Em 1965, essas inovações e ideias foram incorporadas e levaram à fundação da Gomaco Corporation, por Harold e seu filho, Gary Godbersen, incialmente como uma divisão da Godbersen-Smith.

ACABAMENTO

No início da década de 60, a empresa desenvolveu uma mesa de acabamento de pavimento com dupla oscilação. Comprados pela empreiteira para serem alugados a outras construtoras do estado de Iowa, esses equipamentos foram utilizados para acabamento de pavimentos de concreto em pisos de pontes. Quando Iowa passou a exigir esse acabamento nos editais, as empresas passaram a adquirir as máquinas, criando um mercado para esse produto.

Em 1966, a Gomaco lançou uma acabadora com tambor cônico ou cilíndrico para atender às necessidades de assimetria e acabamento de tabuleiros de pontes mais largas. Essa máquina foi antecessora da C-450, lançada em 1969 e que se tornou uma máquina famosa no segmento.

Naquele mesmo ano, a empresa ampliou sua linha para atuar também na pavimentação de vias urbanas, lançando uma versão maior da C-450, chamada de 550. Os projetistas trabalhavam em detalhes que permitiriam que as futuras máquinas executassem guias e sarjetas com rebaixos, em larguras acima de 1 m.

Isso viria a ocorrer j&aac


Projetado em 1966, o ‘cone finisher’ elétrico tinha largura de pavimentação de 18,2 m

Desde a sua fundação, a Gomaco foi pioneira em projetos e fabricação de equipamentos para concretagem contínua, conceito que lançou e que teve grande impacto no mercado devido à maior produtividade, eficiência, redução do desperdício de materiais, baixa obstrução no tráfego e acabamento superior. Até hoje a empresa é líder mundial na tecnologia de pavimentação em concreto.

O empresário norte-americano Harold Godbersen (1916-1986) fundou uma empresa de construção em 1938 e, oito anos depois, criou a Godbersen-Smith Construction. Com grande experiência na área, ele buscou difundir suas ideias inovadoras extrapolando as atividades de sua empresa. Em 1965, essas inovações e ideias foram incorporadas e levaram à fundação da Gomaco Corporation, por Harold e seu filho, Gary Godbersen, incialmente como uma divisão da Godbersen-Smith.

ACABAMENTO

No início da década de 60, a empresa desenvolveu uma mesa de acabamento de pavimento com dupla oscilação. Comprados pela empreiteira para serem alugados a outras construtoras do estado de Iowa, esses equipamentos foram utilizados para acabamento de pavimentos de concreto em pisos de pontes. Quando Iowa passou a exigir esse acabamento nos editais, as empresas passaram a adquirir as máquinas, criando um mercado para esse produto.

Em 1966, a Gomaco lançou uma acabadora com tambor cônico ou cilíndrico para atender às necessidades de assimetria e acabamento de tabuleiros de pontes mais largas. Essa máquina foi antecessora da C-450, lançada em 1969 e que se tornou uma máquina famosa no segmento.

Naquele mesmo ano, a empresa ampliou sua linha para atuar também na pavimentação de vias urbanas, lançando uma versão maior da C-450, chamada de 550. Os projetistas trabalhavam em detalhes que permitiriam que as futuras máquinas executassem guias e sarjetas com rebaixos, em larguras acima de 1 m.

Isso viria a ocorrer já na década de 70, quando foi lançada a primeira máquina de execução contínua de guias e sarjetas, a GT-6000, permitindo que a produção diária pelo sistema manual (60 m) fosse obtida em apenas meia hora. As exigências dos compradores levaram a aperfeiçoamentos contínuos, como máquinas com calçada integrada e aplicações específicas.

O modelo GT-6000 foi a primeira máquina concebida com o conceito de corte e esvaziamento

Em 1973 foi fundada a Gomaco International, para desenvolver a distribuição internacional e incrementar as exportações. No ano seguinte, foi lançada a GT-6300, com uma série de avanços e recursos adicionais, que se tornaria a máquina mais vendida da marca.

DESENVOLVIMENTO

Em seus primeiros dez anos, a empresa desenvolveu também outros produtos específicos para atender clientes no mercado de pontes, além de equipamentos para pavimentação urbana como a HW-165, lançada em 1975.

Na década de 80, a linha foi ampliada para equipamentos de pavimentação contínua de rodovias. A GP-2500, que concretava a seção total da pista, foi lançada em 1980, seguida por equipamentos desenvolvidos para revestimento de canais e obras de irrigação. A 650 DBI, primeira máquina com sistema de instalação de armadura, foi lançada em 1983 para atuar nas obras do aeroporto de Dallas/Fort Worth. Em 1984, a empresa lançou a pavimentadora contínua GP-5000 para uso em pistas de aeroportos, a maior máquina desse tipo fabricada até hoje, com largura de 15,2 m.

O sistema de inserção da armadura teve vários aperfeiçoamentos naquela década. Inicialmente, foi modificado para deixar de ser um item isolado e fazer parte da pavimentadora, reduzindo a patrulha de três para duas máquinas. Em 1987, foi instalado numa pavimentadora com quatro esteiras, sendo controlado por decodificadores instalados nas esteiras para calcular o intervalo entre as inserções. As barras ficavam em um trolley, que se movia transversalmente e fazia a distribuição.

Em 1988, foi projetada e construída uma máquina para pavimentação subaquática de seção plena, usada no Canal Coachella, na Califórnia. A largura da seção era de 14,6 m no fundo e de 31,5 m no topo. Já os taludes eram de 2,5:1.

AUTOMAÇÃO

No início da década de 90, a Gomaco tinha sua posição consolidada como líder mundial no segmento. Foi uma década de intensa automação e informatização, além de projetos com largura mínima, que permitiam a pavimentação entre duas faixas de tráfego.

Apresentada na ConExpo 93, a GHP-2800 introduziu o acionamento hidrostático. Máquinas modulares permitiam a pavimentação de 3,7 a 15 m de largura, trazendo aperfeiçoamentos significativos no sistema de controle, O acompanhamento do traçado, por sua vez, passou a utilizar laser em 1995.

Com largura de corte de 3,6 m, o ‘grade trimmer’ original já era equipado com sensores de controle para inclinação e direção

O ano de 1999 foi histórico para a empresa com o lançamento da Commander III, uma máquina com três esteiras e alta velocidade de operação (13,5 m/min) e locomoção (29,5 m/min). O sistema hidráulico foi redesenhado e apoiado em eletrônica de ponta, assegurando ajuste fácil e preciso.

Em 2000, Gary e Harold Godbersen passaram a integrar o seleto “Top 100 Private Sector Transportation Design and Construction Professionals of the 20th Century”, da ARTBA (Associação Americana dos Construtores de Rodovias), em um reconhecimento por sua liderança e contribuição para o sistema rodoviário do país.

Em 2001, foi lançada a RTP-500 sobre pneus, com a maior tremonha com distribuição por rosca do setor. Também é daquele mesmo ano a OS-4000, que podia trabalhar como espalhadora de agregado e de concreto. Em 21 de setembro de 2001, a Gomaco completou o primeiro percurso veicular com pavimentação contínua, nas vias de um campo de golfe em Iowa, utilizando uma máquina GT-3600 com controle contínuo 3D sem cabo guia.

O percurso tinha uma extensão de 122 m, com largura de 2,4 m. E uma máquina de concretagem contínua de guias e sarjetas com controle 3D em curva foi construída para trabalhar sem a utilização de cabo guia. A pavimentação da Forrest Avenue, em Ida Grove, Iowa (onde fica a matriz da empresa), foi a primeira obra a utilizar esse sistema.

Em 2003, foi apresentado na World of Concrete o sistema de controle de acabamento Gomaco Smoothness Indicator (GSI), que permitia o controle sem contato de superfícies de concreto e asfalto, que acabou sendo usado para a verificação de superfícies de qualquer natureza. Coroando o resultado de seus esforços de qualidade, em 2008 a empresa foi aprovada no sistema ISO 9000. Atualmente, suas perspectivas para o futuro preveem a manutenção da liderança tecnológica nos equipamentos de pavimentação contínua, tanto de guias e sarjetas como de rodovias e de seção plena de canais.

Leia na próxima edição:
A inovação em equipamentos agrícolas